sexta-feira, 23 de junho de 2017

Mais Carvão...e anónimo.

Vi e escutei com especial atenção o que Saraiva disse ontem na emissão especial da SportingTV e pela minha parte considero-me avisado para o possível carvão que o Benfica venha a colocar nos media. É típico dos cobardes, que em vez de enfrentarem quem os acusa, em vez de responderem à letra pelas acusações que lhes são feitas, reajam espalhando novas mentiras sobre terceiros, esperando desviar as atenções sobre si mesmo.

Considero até uma profunda falta de imaginação escolherem as comissões das transferências de jogadores de futebol para incriminar Bruno de Carvalho. Se há presidência que se tem esforçado por colocar o máximo de transparência neste capítulo, essa é a presidência actual do Sporting. Rapidamente, tanto quanto possível, todos os dados de todas as transferências são publicados no nosso jornal e partilhados nas redes sociais, dando total esclarecimento quanto ao que quem pagou o quê, quem recebeu o quê, quem se compromete com que cláusulas.

Tomara o Benfica estar tão "limpo" e "arrumado" em todos os processos de aquisição e alienação de passes de jogadores, como nós estamos e acho profundamente irónico que o clube mais useiro do Carrossel do Mendes, se ache com autoridade para acusar outros emblemas de desvio de dinheiro para off-shores. Para quem ande mal informado, muitos (quase todos) os jogadores e treinadores representados por Mendes estão a contas com o Fisco Espanhol, precisamente por fuga fiscal e desvio de verbas para paraísos fiscais.

Nesta questão há por aí muitos "telhados de vidro" e espero sinceramente que não se venha a descobrir que os esquemas "apanhados" em Espanha, não o venham a ser também em Portugal e sofra o clube encarnado, através das dezenas de jogadores que recebe de Mendes todas as épocas, as consequências do que se presta para acusar o Sporting.

Aguardemos então por essas denúncias anónimas, pois que não imagino nenhum responsável do Benfica com a coragem e a puta da lata para fazerem eles mesmos as acusações, ao contrário do que fez Francisco J. Marques do Porto com os emails ou BdC com os vouchers. Serão as típicas "investigações" do CM, as narrativas arfantes da CMTV, os painéis cartilhados da TVI24 e os artigos e crónicas do Record e d´ABola a fazerem as despesas do costume. Serão os avençados da cartilha-mãe a carregarem estas mirabolantes acusações, que terão como aliados os espasmos inflamados dos Hugo's Gil desta vida.

Assim que "florescam" estas plantações, conto com a rápida resposta do departamento jurídico do Sporting e com a sanidade mental de todos os sportinguistas para mostrar bem ao Primeiro-Ministro Vieira que o Sporting passou há muito a fase de comer gelados com a testa e que cá estaremos com pás e vassoura para lidar com o carvão de Luis Bernardo, com as fábulas de Carlos Janela e sobretudo com a conivência sem escrúpulos dos chefes de redacção de jornais e TV. Aliás os mesmos que porventura não reconhecem ao #BenficaGate essa mesma importância.

Saudações Leoninas

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Vergonha...é dizer pouco

Ontem foi dia de mais umas revelações desse imenso rol de podridão chamado #BenficaGate. Desta vez foram precisos apenas 2 e-mails (e meio) para gerar “pano para mangas” durante toda a próxima semana. E que mangas foram:

1/ O Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Liga (durante o mandato de Mário Figueiredo) endereçou a Pedro Guerra um arquivo de sms´s pessoais do então Presidente da FPF, Fernando Gomes.

2/ Nuno Cabral, à data delegado da Liga enviava a Pedro Guerra, detalhes comprometedores sobre a vida pessoal de alguns árbitros

3/ FJM deu a entender que consta dos e-mails em sua posse, esquemas de prostituição que envolvem responsáveis do Benfica

A gravidade destas acusações é…total. Primeiro, fica a noção clara que até o Presidente da FPF é vigiado “à lá KGB”, assim como é vasculhada toda a possibilidade de encontrar podres nas vidas de dirigentes e árbitros. Não sejamos ingénuos, isso só tem uma intenção - chantagear, ter poder de controle sobre as pessoas em causa, reduzindo a sua idoneidade, limitando o quadro das suas ações. Se isto não configura crime e coação desportiva, não sei o que raio quererá dizer então.
São evidentemente modus operandi típicos de uma qualquer máfia, comportamentos de quem não teme a justiça, seja ela criminal ou desportiva. São comportamentos de gente sem moral ou ética nenhuma para ocuparem qualquer cargo na FPF ou Liga. 

Vejo as redes sociais afectas ao clube encarnado a fugir a este tema, a escapar à reflexão mais óbvia de todas: estes são os dirigentes que querem ao comando do seu clube? São estes comportamentos passíveis de algum tipo de justificação ou defesa? Quanto mais tempo vão andar a fazer flashback’s para se convencerem a eles próprios que os dirigentes dos outros clubes são tão maus como os seus? Onde mora a vergonha? Para onde foi refundida a crítica ou o orgulho pela honestidade? Para debaixo do quê se varreu a “luta pela Verdade Desportiva” que tanto orgulhava a tantos adeptos do Benfica?

Chegou-se a um ponto onde até os próprios meios de comunicação temem investigar, revelar, reflectir sobre o #BenficaGate e estamos sobre o caso mais bombástico desde o Apito Dourado. Não haverá interesse público? Relevância desportiva? Magnitude criminal? O que leva a tantas redacções a permanecerem silenciadas, imóveis, alheadas de um dos casos mais graves de corrupção desportiva de sempre? E não me venham com a história da dúvida sobre a veracidade da prova. Com muito menos se escreveram bíblias nos jornais, se encheram semanas de airtime na rádio, se encheram painéis nas TV´s para dissecar todos os ângulos possíveis. 

Porquê? Pergunto-me tantas vezes sobre estes silêncios. Não têm vergonha, nojo, dignidade profissional? Ninguém é capaz de entender que muitos como eu estão a entender claramente o seu compromisso com alguma ordem ou interesse externo às suas obrigações como órgãos de comunicação social, como jornalistas, como cidadãos não pactuantes com crimes ou deformidades sociais? Vão suportar a mancha de terem fechado os olhos, tapado os ouvidos e a boca? O que isso dirá da sua autoridade para nos relatar eventos futuros?
Meus caros, não são só as instituições desportivas que estão em causa nesta bronca épica. A imprensa ou aquilo que para mais serve, também. Questiono, duvido, suspeito da lisura e independência de todos estes ditos analistas, cronistas e jornalistas. Pois se calam por uns e ladram a outros, para mim, não servem. Falta-lhes o mais importante, a isenção.

Noutro sentido, aguardo a posição da FPF, de Fernando Gomes, de Vieira, de tanta gente visada nesta quantidade de merda gigante que nos entra pela mente dentro. Estão todos a ficar atolados de trampa até ao pescoço e as desculpas esfarrapadas que mandam outros dizer colhe tanto ou tão pouco como a probabilidade de estarem inocentes do que lhes é imputado. Já vêm tarde as demissões. Já passou de prazo de validade a tomada de posição. Já é infinitamente tarde para achar que tudo vai ficar como dantes. 
Não. Isto atingiu o ponto em que só a PJ e o MP podem resolver e eu sei (todos sabem) qual seria o fim para estas personagens: tudo na cadeia! Tudo fora do desporto! 


Saudações Leoninas.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Comparar o incomparável

Doumbia ou Podence? Iuri ou Pity Martinez? Por estas alturas somam-se todo o tipo de opiniões sobre todo e qualquer rumor de jogador para o Sporting. Na pressa de criar julgamento ou opinião, na ânsia de valorar as possíveis aquisições produzem-se "provas" muito dúbias que servem para muito pouco mais do que fazer um like ou pensar durante 3 ou 4 segundos no que é proposto.

Nestas verdadeiras "tribunas de mercado" chega-se ao ponto de comparar coisas distintas, medindo sabe-se lá o quê ou de que forma. Tenho para mim que os jogadores não se comparam e que esperar mais ou menos rendimento de algo que não coincide sequer no tempo ou no espaço é um exercício completamente estéril.

Uma laranja não é a soma de duas tangerinas. Dois abacaxis não igualam um ananás. 10 fatias de picanha não é o mesmo que uma posta à mirandesa. Nem sequer se pode dizer que uma opção é melhor que outra, a subjectividade e total, uns gostarão mais de uma, outros de outra. Aliás nem sequer é um favor que se possa estar a pensar fazer ao jogadores da nossa formação. Eles mais do que ninguém adorarão serem comparados a grandes jogadores, mas até que ponto não se lhes exigirá um estatuto para qual não estão ainda prontos?

A pressa nunca foi boa para desenvolver jogadores. Metemos isso na cabeça, de uma vez por todas.

Saudações Leoninas

terça-feira, 20 de junho de 2017

Plantel 2017/18 - Considerações

Bom...muitos rumores, ainda poucas confirmações. Uma coisa é inegável, o plantel da próxima época não parece vir a ser o resultado de nenhuma marcha-atrás financeira, ou seja, menos artilhado de soluções que os anteriores. Ainda será cedo para tirar conclusões, mas fica um esboço de algumas considerações, as que alguém é capaz de fazer olhando para o desenvolvimento das notícias.

Guarda-redes
Patricio e Beto (faltará eleger um 3º guarda-redes, que evoluirá na equipa B, mas estará de plantão a época inteira. Há bastantes alternativas e de grande futuro como P.Silva e Max)

Defesa Direito
Piccini e Schelotto, pelo menos para já. Não estranharia que o Sporting tivesse um "alvo" já preparado para acertar, caso surja uma proposta pelo italo-argentino. Falou-se de Maicon e Orejuela, duvido que seja alguns destes, embora JJ seja um fã de há muito do brasileiro.

Defesa Esquerdo
Marvin, Jonathan Silva e Coentrão. Com a chegada do internacional português é inegável que a posição foi reforçada, mas apenas em teoria. A julgar pela últimas épocas do caxineiro, será sempre uma possibilidade recair no holandês a missão de fazer o lugar grande parte da época e sabemos como isso não tem corrido bem nas anteriores. O argentino, na minha opinião não vem para ficar e a solução ideal, a meu ver, seria pelo menos contratar um lateral esquerdo jovem que pudesse vir a evoluir na equipa B, mas que face a alguma contingência estivesse maduro o suficiente para ser chamado ao plantel principal e por lá permanecer como aposta factual e não apenas para preencher vaga de treino.

Defesa Central
Paulo Oliveira, Douglas, André Pinto e Coates. Mathieu parece já bastante próximo e Gaston Silva um verdadeiro interesse do Sporting. O que isto quer dizer? Bom, desde logo que dois dos que estão (ainda) no plantel irão sair, o mais fácil de prever neste quadro é Douglas. Mas e o outro? Sinceramente penso que será Paulo Oliveira. Desde logo porque a sair Coates, o nível de reforços a chegar seria algo diferente e A.Pinto acabou de chegar, logo...

Médio Defensivo
William Carvalho e Palhinha. Se quisermos ser realistas, teremos de imaginar a posição 6 ocupada por um jogador que não William Carvalho. O timing de venda é agora e mesmo que saibamos que é um jogador que nenhum adepto ou treinador quer perder, a verdade é que se nota que o caminho de William precisa de outros horizontes para evoluir. Além do mais a verba que o Sporting receberá será, com alguma precisão, mais que suficiente para encontrar uma alternativa, talvez não tão talentosa, mas ainda assim uma alternativa.
O nome mais apontado para esta missão tem sido Bradaric do Rijeka (campeão croata) e dizem os entendidos que não será uma aposta em vão.
Como 2ª linha, Palhinha é uma solução, mas para ser completamente honesto, saindo WC, será preciso encontrar um elemento mais experiente e preparado. A hipótese de o substituto de William não render o esperado não pode apressar o desenvolvimento de Palhinha.

Medio Box-to-box
Adrien, Matheus e Battaglia. Tudo o que foi dito sobre William é válido para Adrien. O seu valor de mercado pode ter atingido o seu zénite e não será a carreira na Taça das Confederações a mudar grande coisa. Aos 28 anos é a altura ideal para render uma grande verba ao clube e um óptimo contrato ao jogador. Mas, no caso dessa proposta não chegar, é mais do que bem-vinda a sua permanência e essa despreocupação é bem visível na falta de nomes para o substituir. Mattheus é uma hipótese, mas não tenho tanta certeza que seja um 8 e ainda mais dúvidas me levanta a qualidade de Adrien comparada com a do brasileiro ex-Estoril. Será Bruno Fernandes?

Alas
Gelson, Bruno Cesar, Iuri Medeiros e Matheus Pereira. Não incluo neste lote de soluções Bryan Ruiz. O seu caminho no Sporting como ala penso ter chegado ao fim e veremos ser vai evoluir noutra posição ou se vai evoluir de todo dentro do Sporting. Mas é mais que óbvio que ter uma equipa completamente coxa não vai ser uma solução. Apenas Gelson é curto e por mais que vejamos talento em Matheus, está na cara que irá ser emprestado e isso leva-nos directamente ao lote de alas argentinos que está a ser noticiado como alvos do Sporting. Pity, Pavon, Acuna são alguns nomes apontados e penso mesmo que um deles acabará por chegar ou...dois, caso Gelson saia também.
Idealmente nenhum clube bateria a cláusula e o nosso melhor ala ficaria mais um ano, mas...há muito dinheiro em jogo. Ainda assim, ter o ala com mais potencial do mercado, pode e deve valer um pouco mais do que 50 Milhões (se tantos por aí valem 40...).

Avançado / Médio Atacante
Podence, Gelson Dala, Geraldes, Bryan Ruiz e Alan Ruiz. São demasiadas soluções para uma vaga que pode nem existir durante 95% das partidas. JJ é um obstinado do 4-4-2 e logo não há lugar central extra por ocupar no meio-campo. A existir, ter Podence, Ruiz e Geraldes é mais do que suficiente. Bryan é para sair e em função de falso ponta-de-lança já provou ser ainda menos eficiente. Nesse papel caberá a Gelson Dala mostrar o que vale ao treinador, mas suspeito que mais tarde ou mais cedo acabe por chegar um reforço para essa posição. Teo é para mim, uma carta muito fora do baralho.

Ponta de Lança
Dost, Spalvis e Castaignos. Duas saídas de caras do plantel que não faço ainda a mínima ideia como quererá o Sporting substituir. Henrique Dourado do Flu seria uma alternativa de luxo a Bas, mas não será fácil de o convencer a aceitar esse papel, ainda assim existe outro rumor, persistente diga-se, sobre Florin Andone, veremos. Em todo o caso, a terceira vaga poderá até ser ocupada por Leo Ruiz da equipa B, olhando a que as duas primeiras terão 90% do tempo de jogo disponível.

Saudações Leoninas



segunda-feira, 19 de junho de 2017

A nódoa Mendes no pano Ronaldo

Tenho imenso orgulho e gratidão no que significa desportivamente Ronaldo para Portugal e para o Sporting, mas toda esta bateria de media a especular sobre a saída de CR7 do Real Madrid provoca-me um nojo absoluto. Como é óbvio, o capitão da Selecção não tem interesse nenhum em sair do clube merengue, e qualquer jornalista sabe disso muito melhor do que eu. Mas há gente com acesso muito fácil aos jornais e tv´s e consegue mover uma máquina para que esta faça o "ruído" pretendido, originando uma pressão política inevitável.

Não deve ser por acaso que esta vontade súbita de Ronaldo (que lembre-se ainda não fez nenhuma declaração oficial) de mudar de ares, acontece logo a seguir à revelação de um processo que o colocou numa imensa resma de atletas (todos representados por Mendes) apanhados a fugir ao fisco espanhol. Para o empresário maravilha europeu, safar Ronaldo de algo que por exemplo condenou Messi, é um must. Limpando o ás, abre caminho à "limpeza" das manilhas, reis e duques. Ao contrário de toda a cortina de fumo gerada, esta conflitualidade com a máquina fiscal do nosso país vizinho não é um preciosismo técnico.

Os agora tão badalados "direitos de imagem" são apenas mais um nome novo para um problema antigo. As "luvas" ou "pagamentos por fora" são tão velhos como eu e começaram a ser usados como forma de aligeirar a carga fiscal que os (agora) imensos salários devem aos estados. Mendes, assim como outros empresários, usaram os mesmos mecanismos de fuga aos impostos que muitos políticos ou empresas, enviando partes "separáveis" dos seus vencimentos para supostas agências de "gestão de direitos de imagem" sediadas em paraísos fiscais.

O problema é que os jogadores de futebol recebem muito dinheiro "por fora", ou se quiserem, os seus "direitos de imagem" são bastante avultados e as verbas desviadas por esquemas como o de Jorge Mendes foram fáceis de detectar numa inspecção combinada por vários ministérios de países europeus. A "choradeira" dos estados de alma da Ronaldo são apenas uma forma, bastante podre diga-se, de forçar os políticos responsáveis pela "fiscalia" espanhola a dobrar a coluna, cedendo ou aligeirando as penas criminais correspondentes - e de forma directa - aligeirar as possíveis responsabilidades do(s) seu(s) empresário(s).

É que muita gente anda distraída, mas o dinheiro será sempre pago - porque é mesmo devido. A questão mais embaraçosa é a prova de que existiu perfeita noção de estar a ser cometido um crime de evasão fiscal e todos podemos imaginar que não foi o Cristiano, sentado ao lado da Dª Dolores que se pôs a congeminar uma complexa rede de partilha e repartilha de verbas em várias empresas e em vários paraísos fiscais. E assim nascem várias notícias, de vários nadas, vindos de quem mais teme estes processos e de quem não hesita em "apertar" políticos na hora de safar o rabo.

E eu pergunto-me: será só em Espanha? Só em Inglaterra? Só em França? E Portugal?
Os nossos silêncios são tão absurdos como as capas de jornais que se mandaram publicar, como os políticos que rapidamente se levantaram em indignações fajutas nas tv´s lusas, como os vários experts que agitaram a bandeira da perseguição, mas que não nos conseguem explicar uma coisa tão simples: CR7 pagou o que devia ou não? CR7 fugiu ou não fugiu aos impostos? Quem são os responsáveis?
Ficamos apenas a saber que há leituras diversas da lei, omissões técnicas, o blá, blá, blá típico de quem se refugia nos vazios das dúvidas e é capaz de defender um crime, porque "não pagar é diferente de desviar" ou "omitir não é esconder".

Ao menos em Espanha houve "cojones" para expor isto. A resposta de CR7 e Mendes? "Ah...se não gostam de mim, vou-me embora". O que é que o cu tem a ver com as calças pergunto eu?

Saudações Leoninas

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Reacionários

Depois de passarem quase duas semanas sem tentarem sequer ensaiar uma justificação ou defesa quanto ao conteúdos dos emails revelados, o Benfica prepara-se para entupir os media com aquilo que se pode chamar de "contra-ataque", tentando nivelar a opinião pública arrastando os outros dois grandes, para o que irá apresentar como "casos semelhantes".

Para que se entenda bem o que está prestes a acontecer, é o mesmo que alguém se apresentar em tribunal para se defender de uma acusação, levando (aquilo que considera como) provas de que outros cometeram também os crimes de que é acusado. Patético ou desespero? As duas.
Quem fica completamente a nadar na maionese são todos aqueles adeptos benfiquistas que têm clamado por respostas claras e convincentes, desmentidos, negações, qualquer coisa que invalide o que o Porto tem apresentado.

Começo cada vez mais a entender que o Benfica não tem defesa alguma ou justificação racional para apresentar e isso torna tudo ainda mais grave. Tão grave que a suposta entrevista de Vieira ainda não encontrou agenda. Tão grave que nenhum dos nomes visados teve sequer a vontade de emitir uma declaração. Apenas Guerra com as suas amnésias e o ex-Presidente da Liga vieram a público, ambos confirmando a veracidade dos e-mails, de forma distinta.

Os media, entretêm-se e entretêm-nos com mil e uma justificações, mil e uma prova de que não há matéria grave. Sabem o que estão a fazer e porque o fazem, como sabem que o que estão a dizer é falso. É grave e há regulamentos que enquadram os castigos por este tipo de procedimentos. "Mas não há ganhos directos do tráfico de influência?" dizem...e eu respondo: como é que eles sabem? Como obtiveram essa conclusão?

Não. Tentar exercer coacção ou tráfico de influência é tão criminoso como o conseguir. A prova até é bastante simples e há inúmeras nos e-mails revelados. Podem colocar os especialistas que quiserem, a dizer o que for mais conveniente, mas a verdade é que parecem mais "psicólogos" para acalmar o pânico do que pessoas isentas a citar e a interpretar as leis adequadas aos casos.

Saudações Leoninas

quarta-feira, 14 de junho de 2017

A Estocada no Coração do Morto

Quem conseguirá acreditar no futebol português, depois de ler, ouvir ou ver, as últimas revelações do Porto Canal? Presidente, vices, toda a cúpula do Benfica está completamente incriminada numa operação de tráfico de influências a uma escala global. Pelos e-mails é mais que óbvio que controlam tudo e todos. Impunemente.

Árbitros na mão. Delegados da Liga na mão. Observadores e classificação de árbitros na mão. Está tudo na mão de Vieira e a única coisa que se pode mesmo retirar destas revelações é que o Benfica, não só venceu tudo, como continuará a fazê-lo sem que qualquer outro clube consiga escapar aos penaltis manhosos, às expulsões do costume, aos amarelos "controladores", às faltinhas convenientes que amputam o fio de jogo a qualquer equipa.

Ter todo o aparelho da arbitragem na mão é algo que sabemos bem ser decisivo. Nem sequer é preciso jogar bem, ser melhor, ter melhores jogadores ou excelentes treinadores. O apito corrige qualquer um destes handicaps. E tem-no feito.

Acima de tudo, o que me escandaliza mais é a permissividade de todos os responsáveis e instituições desportivas no nosso país. Isto é uma bandalheira total, onde a cobardia e o colaboracionismo fazem escola e distribuem os proveitos pelas ilhas de interesses. Não há PJ em Portugal? Não há investigação alguma? Não há leis para cumprir? Não há interesse dos media em revelar seja o que for? Não há nada?

Os poderosos e corruptos são intocáveis a um ponto que me choca. Nada ninguém os confronta. Nada nem ninguém tem sequer transmitir a verdade. Impera o medo, governa o banditismo, estamos manietados pela ameaça e pela perseguição dos "padres" e dos rebanhos de acólitos que nos ameaçam por e-mail, que nos prometem danos familiares pelo facebook, pelos insultos continuados e orquestrados nos twitters.

Haverá quem ache (e nos tente fazer acreditar) que isto é só mais um episódio triste do futebol português. Eu acho que é muito pior que isso. É a sua derrocada. Salve-se o Benfica, mas que se foda o todo, inclusive o Benfica.

Arrastamo-nos para o fundo, com a sensação de que nada é possível fazer. Tudo está condenado, tudo é imerecido. O futebol português chegou ao nível da merda absoluta. Puna-se a verdade, mas deixe-se a mentira continuar a enganar-nos. Nós merecemos. Ninguém é já capaz de um grito de revolta. Nem o Porto que revelou a prova de que tudo está manietado e distorcido, é capaz de tomar uma posição drástica.

Saudações Leoninas

segunda-feira, 12 de junho de 2017

O que esperar deste mercado leonino?

Não ficaria espantado se o Sporting vendesse bastantes jogadores até ao final deste mês. O primeiro dado relevante foi anunciado pelo próprio presidente BdC e JJ - o Sporting vai ter um plantel de 25 ou 26 jogadores. Logo aqui existem 4 ou 5 saídas programadas. Segundo dado - existe um consenso generalizado de que alguns jogadores do plantel, apesar do seu valor “comercial”, estão abaixo do rendimento pretendido. Terceiro dado - Não estando a participação na fase de grupos da CL minimamente garantida, seria estrategicamente saudável realizar o “mercado” sem contar com esse encaixe, fazendo das vendas a única fonte de receita para a construção do plantel da próxima época, e assim sendo, urge vender para mais tarde adquirir…tanto o que se alienou e o que dará mais capacidade à equipa.

Analisando por sectores, as balizas estarão perfeitamente bem entregues quer a Patricio, quer a Beto, mas com um regresso tardio será sobre Pedro Silva ou Max que estará o peso do início de época, até que pelo menos Beto (segunda linha de Patricio na Selecção) goze um período de férias decente. Tudo isto remete Azbe Jug claramente para fora das escolhas.

Na lateral direita chegou Piccini, o que imagino poder querer dizer que Schelotto (jogador muito semelhante) pode estar na calha para uma transferência. Esgaio, ao que parece poderá rumar a Braga, o que abre não uma, mas duas vagas no plantel - não será nenhuma surpresa se nos próximos dias chegarem reforços para esta posição, ou pelo menos, assim que Schelotto seja transferido. Miguel Lopes será mais uma vez carta fora do baralho ou a aproximação com a SAD do Porto, poderá resolver algumas extravagâncias do seu contrato, tornando possível a sua repescagem?

Na lateral esquerda, considerada por muito o “calcanhar de Aquiles” da equipa, o cenário é muito semelhante ao extremo oposto. Jefferson fará companhia a Esgaio na cidade dos ArceBispos e Zeegelar (que vai figurando aqui e ali nas escolhas da selecção Holandesa) tem mercado. Duas vagas abertas que podem ser supridas em parte por Jonathan Silva…que não estou ainda seguro que seja uma certeza. E por falar em certezas e dúvidas, a entrada de Coentrão, essa novela do momento, está longe de estar terminada e abre uma série de dúvidas suplementares. A primeira desde logo, se deve o Sporting “contar” com a efectividade deste jogador ou precaver-se para “males maiores” tendo no plantel não duas soluções, mas três, caso o caxineiro repita as habituais sagas de enfermaria. Será André Geraldes ou Pedro Empis? 

No centro da defesa, as certezas são ínfimas. Depois da saída de Ruben Semedo, fala-se no interesse sobre Coates (alguns meios coincidem em dar eco no trabalho do seu empresário em procurar clubes interessados, o que é um dado revelador) e não será loucura nenhuma imaginar que André Pinto e Paulo Oliveira acabem por ser os que permanecem, afinal, de uma época para a outra. Pessoalmente deposito algumas esperanças que Douglas seja o primeiro a sair e que Coates só saia se a proposta seja muito compensadora, permitindo ao clube a contratação (com essa verba) de dois jogadores de valia imediata. Difícil, mas não impossível. 
Alimento até alguma ilusão que Domingos Duarte ou Demiral tenham lugar neste plantel e que se faça um empréstimo decente de Tobias Figueiredo…quem sabe algures no Championship ou Premier inglesa ou Liga alemã. Receita extraordinária será a venda de Ewerton, que pelos vistos agradou a muitos treinadores por terras germânicas. 

A mais expectável venda deste defeso ainda não aconteceu e William tem sido o rei da posição de trinco no Sporting. Acho mesmo que estaremos prestes a despedir-nos deste jogador tão preponderante na equipa, mas a visibilidade na Selecção e o atingir do auge da sua valorização poderá levar a SAD a achar que esta é a hora de abrir mão do Campeão da Europa. A entrada de uma verba compatível com o seu valor poderá permitir a reformulação de todo o meio campo da equipa, onde faltam soluções quer principais quer de segunda linha. Palhinha precisa de crescer e não pode ainda ser considerado um sucessor natural. Petrovic (apesar da época interessante no Rio Ave, não será muito mais do que mais um empréstimo e Bruno Paulista acaba de se despedir para o Vasco da Gama. Muito irá acontecer para que descubramos quem será o “trinco” desta equipa.

Outra despedida expectável (e importante) será a de Adrien. Quer queiramos quer não, o seu valor de mercado estagnou e embora alto, não será difícil que um qualquer clube inglês dê ao Sporting a quantia certa para que saia do clube. Aos 28 anos será até lógico que ambas as partes decidam por esse caminho. Não há nenhum sucessor no plantel e apesar de muitos (como eu) vermos em Geraldes alguns atributos recomendáveis, JJ já avisou as hostes que para ele, Francisco não é um homem do miolo e sendo assim há que procurar lá fora o que poderá render Adrien. Fala-se em Bradaric, mas penso que esse estará mais vocacionado para render William do que como médio “box2box”. Battaglia do Braga? Bom, veremos. Não estou convencido das valências deste jogador em missões defensivas, o que repito na avaliação de Mattheus Oliveira. Não. Nenhum dos dois encaixa no modelo de JJ como puro 8 e se há um nome por aí para este lugar ainda não o conhecemos. 
As minhas qualidades como treinador de bancada levam-me a dizer que gostava muito que JJ perdesse umas horas a imaginar Gauld como um possível Modric (não falo obviamente do valor, mas sim da missão táctica) dentro do Sporting. O que a meu ver, estabilizaria muito a equipa, principalmente em jogos de profunda necessidade de furar as defesas à procura do primeiro golo. 

Imaginando que este será mais um ano de mínimas variações ao 4-4-2, não será necessário imaginar mais atletas para o miolo, dispensando os tais médios criativos que operem pelo centro. Alan Ruiz serve perfeitamente como âncora e caso este papel venha mesmo a ser considerado e eu colocaria Francisco Geraldes no mesmo quadro de soluções.

Vamos às alas. Fracasso rotundo com Markovic e Campbell. Sobraram sempre Bruno César e Gelson Martins e embora o brasileiro não tenha nem o drible, nem a explosão recomendáveis, tem remate e golo…o que é uma obrigação na visão de JJ. Ainda assim, é mais do que necessário encontrar colocação para um descrente Bryan Ruiz e definir, uma vez por todas, se Matheus Pereira é para levar a sério. Caso a resposta seja não (erro crasso e uma das coisas onde verdadeiramente culpo JJ como maior responsável ) e mesmo considerando Geraldes como uma opção a figurar no plantel (garantida por JJ) é evidente que falta ao plantel um ou dois jogadores desiquilibradores nesta posição. Consideração que só será reforçada se algum tubarão perder a cabeça e investir 60 (ou mais) milhões para levar Gelson. Iuri Medeiros tem de ser um must na construção do plantel e eu se fosse o português, colocaria um pouco mais de empenho nos treinos, de forma a mandar as interrogações de JJ pelo cano. Heldon e Ary Papel serão casos mais complicados de resolver e eu trocava-os facilmente pela chegada de (por exemplo) Fábio Martins do Braga (emprestado ao Chaves).

Na frente, tendo como garantida a permanência de Bas Dost (talvez tenha sido bom não se ter sagrado como Bota de Ouro europeu, pois o pouco que faltava poderia não faltar para que alguém abrisse inesperadamente os cordões à bolsa) resta compor uma alternativa credível (que Spalvis ou Castaignos não são) e encontrar um ou dois side-kicks para a tão importante missão de avançado móvel que JJ incessantemente procurou na época passada. A tal missão de 2ª linha de Dost terá de vir de fora, mas tendo Gelson Dala, Podence e até Mané ou Teo como integrações possíveis, não anseio por contratações nesta outra posição. Ainda há Leonardo Ruiz na calha, mas isso ficará para outras análises. 

Deixei muitos jogadores, actualmente sob contrato profissional, à margem deste “apanhado”. Mas se já difícil adivinhar o destino de jogadores mais influentes, é muito mais complexo destrinçar o que sucederá a atletas como os que constam na equipa B ou foram emprestados com pouco sucesso a clubes de menor dimensão.
Acima de tudo salta à vista o quanto ainda está por fazer em ambos os sentidos, entradas e saídas. Sairá gente importante, entrará muita gente com missões de elevado grau de dificuldade. Espero que se use de uma astúcia e uma precisão mais efectivas no scouting e que, de facto, na próxima época o plantel surja mais sólido e sobretudo mais ajustado às ideias de JJ.


Saudações Leoninas

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Carta do Marroquino aos Beatos

Os jornais andam tão ocupados a fingir que não há "Apito Abençoado" que até se esqueceram de dar nota da Carta Aberta de Taarabt aos adeptos encarnados. Como não quero que nada falte aos meus amigos "beatos" da Missa, aqui fica. Leiam e agradeçam depois.
"Olá amigos benfiquistas. Pois é, estou de volta. E ainda bem. Não sei se sabiam mas estive a experimentar as massas aqui de Génova e posso-vos garantir que não se comparam aos pastéis de nata e aos mil-folhas de Lisboa. E olhem que eu fiz um trabalho exaustivo nessa matéria. Confesso até que, graças a este estudo, engordei uns quilitos (vocês sabem como sou guloso) mas prometo que vou combinar umas caminhadas com o Guerra, que me dizem ter entrado agora mesmo numa dieta à base de hóstias. Não sei o que é, mas pelo som faz-me lembrar “osteria”…e como eu adoro ir a esses sítios, tem tudo para dar certo. Além disso, ser fotografado ao lado do senhor, vai-me fazer parecer, pelo menos, 10 kgs mais magro.
Estou a empacotar as minhas coisas aqui em Itália e voltarei com o meu amigo Miguel Veloso para Lisboa já na próxima semana. Queremos continuar o nosso “Bromance” pela capital portuguesa e até já fizemos muitos planos para o futuro. Vamos comer pastéis de nata juntos. Comparar as bolonhesas. Continuar o nosso campeonato Mac Vs Burger King. Bater o nosso record de frascos de Nutella em croissant folhado ou brioche. Além do nosso já clássico “Cachorrão - Dia sim, Dia não” que foi o que nos aproximou aqui por Génova. Aliás, aproveito para dizer que não compreendo como um jogador como o Miguel não tem lugar num clube grande em Portugal? Se vocês vissem como faz um ar de atento ao jogo quando está no banco ou como desenha os penteados conforme a posição do clube na tabela, passavam a dar-lhe mais valor.
Sei que vou ter uma enorme recepção aí em Portugal e (aqui que ninguém nos ouve) até já ouvi “um passarinho” dizer-me que vão guardar a camisola 112 para mim. Não compreendo bem a escolha do número, mas ainda assim sei que deve ser um número especial para vocês. Não sei se o Rui Costa me pode ir buscar ao aeroporto como das outras vezes, mas se não poder ser o Rui, por favor não me mandem aquele Hugo ou Gil qualquer coisa. Ele passa o tempo todo a pedir-me ajuda financeira e a queixar-se que o clube não o apoia, sinceramente não tenho paciência. Bom, mas fica aquele abraço e a certeza que vou matar saudades dessa grande massa de adeptos benfiquistas, de todos os taxistas, trolhas, talhantes e bate-chapas de Portugal.
Estou de regresso! #CarreguemMeBenfica
PS - Obrigado ao Carrillo por me ter ajudado a escrever isto em Português, vêmo-nos nos não convocados my friend!"

Lá por fora

Porto

A escolha de Sergio Conceição para treinador principal do Porto pode dar dois resultados (ou razoável ou péssimo) e ambos dependem da capacidade do clube em vender o entulho a alto preço, ficando com os jogadores necessários para formar uma equipa capaz de lutar por títulos. Não vai ser fácil e muito dependerá do estado de saúde da relação com Jorge Mendes. São conhecidas as ligações de SC à Doyen e sabendo que o consulado Mendes ficou seriamente afectado com a saída de NES…é fazer as contas.
Mas voltando aos dois resultados possíveis, parece-me óbvio que SC não é um génio de táticas (sabe Deus que NES também não o era) e contar com este tipo de treinadores para fazer omeletes sem ovos, vai ser meio caminho para a tragédia. Pode sacar uns jogos porreiros frente a equipas que disputem o jogo, mas será sobretudo com os “bunkers” defensivos (tão moda no futebol tuga) que o sucesso deste treinador se vai ditar.

É assumido pelos próprios dirigentes da SAD que o clube precisa de fazer muito dinheiro e pelo arranque do mercado está à vista que não vão chover propostas milionárias por nenhum jogador portista, o que deixa apenas um cenário possível, vender em quantidade. SC ficará com um plantel mais fraco que o atual e parecendo ajustada a escolha de um treinador português como ele, eu acho precisamente o contrário, será terreno fértil pata o futuro treinador errar, conhecida que é a sua dificuldade em estabilizar onzes e estilo de jogo. Nem tudo se resolve, recorrendo à “garra” e a um discurso assertivo…e SC é useiro e vezeiro em ter sérias dificuldades em justificar no campo aquilo que promete nas CI’s. 

Benfica

Ninguém sabe quem está ao comando do “Polvo”, mas eu arriscaria que algures no Dubai está um gajo solitário a gastar fortunas em sms e telefonemas a horas tardias. Esse poderá ser o cérebro, mas dentro dos tentáculos verdadeiramente pegajosos, Brás, Ventura e Pedro Guerra são figuras de proa. O mais roliço desta tríade de carvão é um verdadeiro faz-tudo, o gajo que não se importa de pegar no esterco sem luvas e dar o corpo ao manifesto seja qual for o grau de sabujice necessário. Os que pensarem que os e-mails revelados vão fazer com que o clube prescinda dos seus serviços por uma questão de imagem, estão a ver o filme bastante ao contrário. Mesmo que libertando o “rolha de poço” de contrato com a BTV (imagino que eliminando o fio condutor do esterco à base mãe) isso só libertará ainda mais o ânimo com que mete a mão na merda e nela chafurda. 

É que se há uma coisa coerente na presidência do “Primeiro-Ministro” é que os Padres, longe ou perto da Igreja, rezam as missas na mesma e se olharmos aos exemplos de Rui Gomes da Silva ou João Gabriel, podemos ver que “estando onde estiverem, eles continuam lá”, apenas não constam da lista de pagamentos que se fazem em cima da mesa. Algures debaixo da mesma, há um número considerável de tentáculos a espalhar dejectos pelo espaço mediático e a ser pago por uma das muitas “amizades” do Primeiro-Ministro. Enquanto as TVs não ganharem escrúpulos por transmitirem a porcaria que transmitem, Guerras e afins serão valiosos, pois estão-se nas tintas para a imagem que passam, limitando-se a ser condutas de esgoto sem-filtro e por onde circula toda a matéria fecal que der jeito transmitir para os adeptos.


Saudações Leoninas

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Na República das Missas Cantadas

O cancelamento da entrevista à RTP por parte de Vieira, na ressaca das revelações dos emails de Pedro Guerra é apenas mais um sinal que o tiro dado pelo Porto, acertou em cheio no porta-aviões do Polvo encarnado. Ao ler alguns excertos, torna-se óbvio (ou pelo menos muito mais esclarecedor) o controlo que alguns agentes paralelos à arbitragem mantêm sobre os primeiros. Agentes que usam contactos privilegiados com árbitros no activo para os coagir (positivamente ou negativamente vai dar ao mesmo) a ter performances que beneficiem um clube ou prejudiquem outro.

Isto, meus amigos prova que há coacção. Premeditada e organizada. Assumida como um trabalho feito ao longo de vários anos por Vieira e até que alguém venha contestar a autenticidade dos emails revelados (que não vieram) é para mim prova suficiente que um funcionário do Benfica assuma o que escreve como um facto e não como um desejo ou vontade. Está tudo escrito, tudo assumido, tudo apresentado como verdades palpáveis.

Sei que estamos em Portugal e que há um interesse saloio e retrógrado em deixar que os "too big to fall" passem impunes aos crimes que cometem. Sei que a polícia, o ministério público e restante estado são manobrados por várias teias de interesses que os impedem de fazer o que é justo e o que é bom para o futuro desta nação. Imagino até que este seja mais um caso, mais um "apito", que morra nas burocracias e tecnicalidades de julgamentos e processos judiciais. Mas não deixa de ser mais uma prova do quão podre está o nosso futebol e quão baixa está a autoridade e moralidade dos dirigentes.

O apito "amolgado" irá ser apenas mais uma página vergonhosa, uma procissão de culpas solteiras, uma fuga à verdade e às consequências de quem praticou crimes. Uma prova de que ser corrupto, em Portugal e especialmente no futebol português, compensa.

Saudações Leoninas

quarta-feira, 7 de junho de 2017

O império do absurdo

É tão mau que se torna bom.
É isto que devem pensar os responsáveis pela programação da TVI24 e outros canais que nos trazem até casa figuras como Pedro's Guerra ou Ventura's. É a contar com as figuras de bandalho que fazem, com o papel lastimável a que se prestam, com os gelados para a testa que enviam em directo para todo o país...que precisamente os convidam.
Este é o paradigma das TV´s - não interessa se é bom ou mau, corrupto, pedófilo, mentiroso, rasca, se gera polémica, se desencadeia momentos de patética e ruidosa discussão, desde que garanta audiência passa a ser o maior, o mais desejado, passa a ser...bom.
E mais, até dão instruções aos moderadores para proteger o espaço destes dejectos, impedindo que discursos mais racionais e decentes prevaleçam. Sempre que um interveniente esmaga estes escrotos de propaganda, abafando e pacificando (com superioridade intelectual) o debate...lá vem um destes Sousa's Martins intervir para deixar passar as alarvidades com mais folga, mostrando a qualquer espectador com dois palmos de testa que quem manda ali é o burgesso e o que interessa é mesmo o chafurdar na lama.
Já não tenho conta os indivíduos que desistiram de participar nestes programas, assim como imagino não terem aguentado o desnível e desregular do conteúdo do debate em que participavam, tal e qual como tenho a certeza de que desconfiaram estarem apenas a servir de saco de pancada para o atirar de lama, por parte dos macacos vedeta amestrados. E não me venham com histórias, há uma lógica clubística neste desnível evidente, tanto como existe o aproveitamento do clube em questão para passar a "cartilha".
É bom para a estupidificação dos adeptos, é bom para passar a cartilha, dia após ida e é mesmo muito bom para os shares das TV´s. Todos ganham num ciclo viciado que promove ódio, disfarça incompetência e estimula apoio incondicional aos querem continuar a "viciar para reinar". Onde fica a verdade? Onde para a decência? Onde está o conteúdo e as mensagens básicas do desporto? Caga nisso, devem dizer os directores de programação. Os números de audiência estão bons? Então siga para bingo! É tudo bom.
Até ter alguém que está pontualmente ligado a propaganda rasca ou participar em esquemas de controle de árbitros é bom. Aliás, aos olhos dos responsáveis das TV's, não só isso é bom, como é lucro. Pensam eles, e bem, que quanto mais "players" na imundice tiverem nos seus painéis, mais relevância terão as besteiras que dizem e mais atenção terão os programas onde participam. Para que se veja a distorção ética de tudo isto, ponderemos a possiblidade de termos programas infantis apresentados por suspeitos ou comprovados pedófilos, magazines de saúde comentados por bruxos ou espiritas, debates de política participados por anarquistas ou mesmo, quem sabe um dia, programas de culinária dirigidos por directores de marketing de cadeiras de fast food.
Absurdo? Será mesmo? Continuem a dar audiências a esses programas e veremos.
Saudações Leoninas

terça-feira, 6 de junho de 2017

Sacanices

Sobre um tal audio que anda a correr a internet, tenho a dizer três coisas, que gostava que todos nós Sportinguistas dedicássemos um minuto a reflectir:
1) A forma - quem achar que esta é a primeira vez que um agente desportivo (seja presidente, treinador, director de comunicação, etc) realizou uma destas sessões informais com orgãos de comunicação social, está muito distante do que se passa na relação dos media com qualquer pessoa que detenha algum poder (político, judicial, desportivo). São encontros regulares e até benéficos para que as partes criem canais de respeito e consigam interagir num "mercado" de informação constante e global. Nada foi feito à revelia de nenhuma instituição. Apenas não foi um acto público, nem pretendia ser publicitado.
2) O conteúdo - antes de tecermos comentários devemos ouvir o audio. Por inteiro. Partes retiradas de um contexto são facilmente manobradas para transmitir uma mensagem diferente da original. Posto isto, não nada nesse audio que surpreenda alguém minimamente informado. A linguagem é, sem hipocrisias, a que todos usamos no nosso dia a dia e só alguém muito mal intencionado não concordará que podia ser qualquer um de nós a dizer aquelas palavras. Sem falsos puritanismos, falou-se de bola e falou-se sem filtros, entre gente adulta e careca de saber os podres do nosso desporto. Indignado ando com gente que corrompe, gente que dá abrigo e apoio financeiro a assassinos, gente que vai ao meu bolso para que lhes pague dividas de negócios que os enriqueceram paralelamente. Uma caralhada ou outra "ofender" algum adepto é coisa que pensei termos ultrapassado há 30 anos e deva-se dizer que para todos os efeitos aquele não foi um espaço de afirmações passíveis ou entendidas pelas partes como público.
De resto, volto a dizer, nada das afirmações de BdC me parecem estranhas ou polémicas e podendo concordar ou não, nunca seria capaz de publicar essa opinião, pois fui educado a obedecer a certas regras, das quais não abdico.
Se o fizesse estaria a validar e a estimular que outras sacanices deste género ocorram, literalmente a tornar o crime bastante compensador.
3) As consequências - O que fizeram ao Sporting, na figura do seu Presidente Bruno de Carvalho é uma filhadaputice sem explicação. Exibe sobretudo uma falta de profissionalismo atroz, quebrando todos os códigos de conduta profissionais de quem se diz jornalista. Num país a sério e dentro de uma classe já tão desprestigiada seria o mínimo que esse senhor (que fez a gravação e a publicação na internet à revelia) perdesse a sua carteira profissional, pois se isto não é razão para tal, não sei o que será.
Ainda assim e mesmo que a punição individual venha a acontecer, quebrou-se ontem também o pouco que restava do respeito dos Sportinguistas para com a imprensa. Acabou. Leio e ouço que muitos se isentaram de fazer a publicação do audio, mas todos saltaram para a notícia de que a fuga teve lugar. Para mim essa é a prova de que não só se romperam definitivamente as regras de convivência, como se irá criar um clima de, justificada, revolta contra os jornalistas em Alvalade. E desta vez acho que não estamos a falar de "mau-estar" ou "indignação"...irá ser mesmo ódio e agressividade. Pois que é o que sinto neste momento e irei sentir até que alguma reparaçao seja publicamente feita.
Um clube como o Sporting não pode servir de saco de pancada, escarrado em cima, enganado, sem que existam consequências e temo que muitos adeptos mais "práticos" direccionem a sua ira com actos menos reflectidos, caso a classe dos jornalistas não venha defender-se ela própria destas condutas, expurgando-a e tornando-a num exemplo a não seguir. Doutra forma, todos pagarão pelo erro premeditado de um mau jornalista e a receptividade da imprensa junto do Sporting estará irremediavelmente perdida.
Mas cada um passará a sua sentença, eu gostaria que cada um de nós, Leões, pensássemos na nossa. Dispensando a artes e os engenhos de agentes "a mando" de outras cores clubísticas.

Saudações Leoninas

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Fim de semana

Futebol

Podendo ter sido melhor, a moldura humana ontem no Estádio Nacional foi a suficiente para marcar mais uma época de grande crescimento da modalidade Futebol Feminino. Fico orgulhoso de termos sido nós, o Sporting, a marcar esta mudança e porque quero ser sempre grande entre os grandes, desejo que Benfica e FcPorto façam a sua adesão o quanto antes a esta variante do desporto.

Parabéns à equipa leonina, pois cumpriu exactamente o que lhe foi pedido. 1º ano, Campeonato e Taça, uma prova de que não sendo perfeita, a construção desta secção foi marcada por muitas e boas decisões. Ficamos todos nós a aguardar o que será o ano 2 deste projecto, sendo que será uma desilusão desinvestir em cima de tanto mérito.

Andebol

Com o embalo de dois títulos, esperava sinceramente mais da prestação frente ao ABC. Repetiram-se muitos erros (que foram constantes ao longo do ano), muitas indecisões tácticas. Enerva-me sobremaneira a falta de reacção às tremendas oscilações durante as partidas. Esta equipa tanto descola 4 ou 5 golos, como perde essas vantagens em escassos minutos. Isso não é sinónimo de concentração, não é sinónimo de confiança.

Ainda assim, ficou o registo de fazer vender cara a derrota, levando o jogo para tempo extra quando pareceu algumas vezes ter a partida completamente perdida. Pouco, mas o mínimo, para que não seja imputada, mais uma vez, a um plantel de tão bons atletas alguma pasmaceira inaceitável.

Estupidez

A decisão de não transmitir a cerimónia de atribuição da Taça de Portugal Feminina é absurda e embora até aceite que o concerto de Manchester tenha a sua relevância política, não consigo compreender o amadorismo de desrespeitar os espectadores ao ponto de os impedir de assistir à consagração de um troféu resultante de um jogo...que transmitiram. Mais uma vez é ao Sporting e aos sportinguistas que cabe sempre esta falta de respeito institucional, de uma televisão que pagamos.

Ronaldo

Se ainda restassem dúvidas, mais uma Liga dos Campeões e provavelmente mais um prémio de melhor futebolista do Mundo. Aceito que em Portugal (como no mundo) se discuta se CR7 é o melhor jogador do mundo de sempre, o que já acho saloio é que alguém não entenda que o registo deste super-atleta não sirva para ser o melhor jogador português de sempre. É que Eusébio foi um dos melhores da sua geração, Ronaldo é um entre os quatro melhores de sempre (onde incluo Messi, Pelé e Maradona).

Saudações Leoninas

sexta-feira, 2 de junho de 2017

CoEntrada

Receber Fábio Coentrão emprestado com o seu salário a ser maioritariamente pago pelo R.Madrid e com opção de compra (justa) no final da época, parece-me uma opção quase sem riscos para o Sporting.

Não sou dos que vai receber de braços abertos o jogador, não sou nem sequer dos que acham que a solução é um grande achado no mercado. Além do seu passado de tantas juras e promessas ao nosso clube rival (o que faz parte da personalidade completamente passional do jogador), há o facto de ter competido muito pouco nas últimas épocas e normalmente...de forma muito distante do valor que já teve.

Mas...há outro detalhe que me preocupa.

O histórico de lesões do jogador pode muito bem reduzi-lo a pouco mais do que um nome no plantel e sendo assim, o plano mais seguro recomendaria a existência de uma alternativa bem forte, para lá ainda da permanência de Marvin ou Jonathan.

Ou seja, qualquer definição precavida incluiria Coentrão como alguém do qual não se pode depender desportivamente, tendo uma opção séria para titular (que não temos) e uma segunda escolha (onde só restam Marvin e o argentino Jonathan...a julgar como credíveis as info´s que dão Jefferson de saída).

Se isto for o que vai na cabeça de quem está com a missão de desenhar o plantel da próxima época...muito bem, se não for...parece-me que estamos a encontrar caminho para andarmos mais um ano a recorrer a B.Cesar ou algo ainda menos convincente.

Saudações Leoninas


quinta-feira, 1 de junho de 2017

Lets get Silly

Está a aquecer a Silly Season 17/18. Em poucos dias mais uns quantos, para já, boatos que envolvem o Sporting. Jefferson, Esgaio e Ruben Semedo numa porta, Battaglia e 14 milhões por outra. Ou seja, lendo a comunicação social somos informados de que Esgaio e Jefferson (empréstimo) saem para o Braga (+3.5M) por troca com o médio Battaglia e Ruben sai (Newcastle ou do género) por um valor à volta de 14 milhões de euros.

Quem lê este blog sabe que sempre achei Ruben Semedo um jogador com um enorme potencial, com atributos físicos e atléticos acima do normal, mas também falhas de desempenho que são normalmente muito punitivas para um colectivo. A verdade é que o regresso na 2ª parte da 1ª época de JJ trouxe uma promessa de jogador que não foi cumprida no ano que agora acabou. Se 14 milhões eram pouco para o Ruben que acabou a época anterior, serão muito mais ajustados ao valor que demonstrou mais recentemente. Se a notícia se confirmar, podemos sempre ver o copo meio cheio ou meio vazio, mas saliento que passamos pelo menos a conseguir bom dinheiro pelos nossos formados, o que até há bem pouco tempo era uma miragem.

Esgaio e Jefferson, são dois laterais com caminhos distintos no Sporting e interessa ver que embora estejam ambos muito desvalorizados, têm histórico no futebol português. Esgaio foi figura de proa em quase todos os escalões de formação e um dos atletas mais regulares ano após ano. De ala, passou a médio e de médio a lateral e confesso-vos que ainda não entendi qual a melhor posição para este jovem jogador. Técnica tem, atitude também, falta o resto. Não defende, nem ataca especialmente bem, o que não lhe permite assegurar uma posição com confiança. Talvez venha a dar um bom 8 ou médio mais encostado a uma das alas, mas terá de baixar um pouco a fasquia para que tenha a oportunidade de confirmar o seu talento, jogando.

Jefferson foi até à entrada de JJ um dos melhores laterais esquerdos da nossa Liga. Primeiro no Estoril e depois no Sporting, o brasileiro deslumbrou com a sua capacidade de varrer todo o corredor e principalmente assistir os avançados com cruzamentos de eleição. Além disso remata bem e mostrou habilidade em livres directos. O pior é que estes atributos ficaram esquecidos por detrás de uma enorme falta de confiança que precisa de encontrar noutras paragens, pois no Sporting está claramente a perder terreno. Se é no Braga que vai regressar ao seu antigo patamar, pois que vá e que volte o velho Jeff, que muita falta faz.

Em caminho inverso chegaria, ao que parece, Battaglia, médio do Braga. Confesso que me agrada o jogador. Bom porte, bom passe, boa visão de jogo e bom remate. Não é um 8 à semelhança de Adrien, não tem essa valência de "mordedor de calcanhares", mas num registo mais atacante ganha ligeiramente ao português, oferecendo melhor transporte e sobretudo mais visão e construção de jogo. Mas sublinho: não é um Adrien. Se vale 3.5 milhões de euros mais o passe de Esgaio e o empréstimo de Jefferson terá de ter sido visto em Alvalade como um excelente reforço, pois se avaliarmos Esgaio em 2 milhões (vamos pecar por defeito) e o empréstimo de Jeff em 0,5M...o total dará qualquer coisa como 6 milhões...não sendo um Rafa (22 milhões)...é muito dinheiro para um jogador a entrar no último ano de contrato.

Mas enfim, vamos esperar por confirmações. Sem elas isto são mesmo só especulações, etéreas como o vento ou as letras na capa de um jornal.

Saudações Leoninas



Campeões!

Não foi fácil. Sobretudo a ansiedade, levou a que a equipa deixasse por momentos fazer acreditar o Benfica que podia decidir (ainda mais) o campeão de andebol desta época.

Mas, num último esforço de concentração a equipa técnica agarrou o jogo e fez o que tinha de ser feito. Não era altura de errar, de precipitações graves, de fraquejar. Os jogadores deram mostras de saberem o que era preciso fazer e não mais o adversário regressou à disputa dos 3 pontos (ou do empate).

Fez-se justiça e no final fez-se a festa. E foi bonita. Agora é tempo de preparar já a meia-final da Taça e colocar as cabeças já a entender o que pode ser melhorado, é que a final pode muito bem vir a ser com o FC Porto, num jogo que o Sporting deve fazer questão em ganhar. Mas para já, segue-se o Avanca.

Saudações Leoninas

quarta-feira, 31 de maio de 2017

É hoje!

Hoje é para ganhar! Esta equipa de andebol é superior ao Benfica e provou ter tudo para se poder sagrar “a melhor”. Tem jogadores para gerir qualquer tipo de jogo e dando o máximo, não há qualquer sombra que nos deva amedrontar. 

Hoje só têm de vencer. Não podemos ter paragens cerebrais, quebras de confiança, excessos da mesma. Hoje é o dia para mostrar o que valem e mostrarem que o querem dizer a todos os sportinguistas! Hoje é o dia para Campeões.
Apenas um recado a todos os que vão fazer parte do ambiente das bancadas: giv'em hell!!


Saudações Leoninas

terça-feira, 30 de maio de 2017

Limites à indecência: Quem vota contra?

A Liga de Clubes votou ontem um valor limite para ofertas a árbitros. A frase só por si é emblemática do ponto a que o futebol português chegou. Quando se tem de submeter a votação este tipo de regras, a idoneidade dos dirigentes parece uma imposição e não um princípio. Ainda assim é melhor esta regulação do que o vazio ou o free pass legal que existia antes.

150 euros é agora o tecto. Mantenho o que disse e escrevi aquando a revelação do caso dos vouchers: não é a quantidade, valor facial ou a soma do valor das ofertas que está em causa, mas sim a atitude de quem faz a oferta. Desconfio mais de 1 euro oferecido por um dirigente corrupto do que 500 de alguém desinteressado, mas na dificuldade de encontrar essa pureza de intenções num meio como o futebol (e em especial na relação com os árbitros) o que fica mesmo bem é não oferecer.

Não sei de casos onde a "gentileza" tenha levado um arguido a oferecer vouchers refeição, camisolas ou outra porcaria qualquer a um juiz num qualquer tribunal cível. Não tenho registos, porque simplesmente não acontecem, porque um juiz de uma qualquer comarca de qualquer região ou país consideraria esse gesto (no mínimo) como atentatória à sua isenção, e entenderia...bem. Porque o é de facto e o Benfica sabia e sabe disso.

Tanto sabe que, pelos relatos de hoje, votou contra o valor de 150 euros, faltando esclarecer se considerou demasiado baixo ou não concordaria com qualquer tipo de tecto. Seja como for, valha pelo menos a coerência de ser, neste como em quase todos os casos, uma força detratora da inovação, da justiça e da independência dos reguladores do futebol. E isso, podem dar as voltas que quiserem nos painéis de tv, podem fazer os spins que quiserem nos editoriais dos jornais, é uma pele que não conseguem despir. Mais uma para descontar na comparação com o Apito Dourado, dirão os adeptos encarnados, sem conseguir discernir que o "desconto" já vai longo e que de forma inconsciente assumem que se governam por esta altura pela mesma bitola (se quiserem "cartilha") de esquemas do seu eterno ódio de estimação, Pinto da Costa.

Mas nem só o Benfica votou contra a nova regra. Foram 15 votos de rejeição e 2 abstenções. Sinal de que os "aliados" de Vieira são para as ocasiões, mas ainda assim perdedores face aos 27 votos a favor...e sim, isto também quer dizer outras coisas no mapa de poder do nosso futebol, mas isso terá de ficar para outro post, ou para a caixa de comentários se alguém achar interessante.

Saudações Leoninas


segunda-feira, 29 de maio de 2017

Quatro à Segunda



Andebol 

A relativa facilidade com que o Sporting venceu a Taça Challenge em andebol exibe aos olhos até do adepto menos informado neste desporto, que esta equipa estava preparada para outro patamar competitivo. Ainda assim é bom acumular mais um troféu europeu, sabendo que dentro de poucos dias chegará o verdadeiro momento para o qual este plantel foi idealizado. Poder ser campeão nacional, quando muita gente já desacreditava dessa possibilidade bem cedo na época, será mais do que um desejo…é uma missão. A hora é de agrupar, encher o pavilhão de Odivelas e não ceder no momento de conquistar a glória.

Formação

Esta equipa de júniores foi elogiada o ano inteiro. Justamente. A distância que exibe particularmente com as equipas do mesmo escalão dos grandes rivais, põe uma enorme pedra sobre o anátema da “crise na formação do Sporting”. Destacar alguns jogadores seria uma injustiça neste momento de celebração e tempo haverá para o fazer na altura de encaminhamento quer para a equipa B, quer para clubes do 1º escalão, quiça até o arranque da pré-temporada com a 1ª equipa (que irá perder muitos jogadores em compromisso das selecções). Parabéns a Tiago Fernandes e restante equipa técnica.

Transferências

Jonathan Silva e Teo são ambos activos do Sporting, actuam na Argentina e ao que parece vão ter destinos diferentes. O primeiro está de regresso e embora o tempo de empréstimo no Boca não tenha nota muito positiva (especialmente nos tempos mais recentes) é evidente que estamos perante um atleta com potencial e bem trabalhado mentalmente…pode ser um bom recurso, canalizando mais verbas para a contratação de um lateral, seu concorrente, de outro estatuto. 
Já Teo é uma certeza. Não cabe. E não é que não tenha argumentos para convencer qualquer treinador da sua utilidade, o problema é mesmo entender e querer jogar futebol e entregar-se ao colectivo. Mais um ano de empréstimo será a solução mais do agrado de todos, mas se a China bater à porta…(o Rosário também joga com isso).

Vídeo-árbitro

Os “velhos da Luz” bem tentam desacreditar este suporte tecnológico (apenas mais uma forma de pressão labrega e inútil) mas a cada jogo fica evidente a vantagem da sua utilização. Nada nasce perfeito e muito será melhorado nas próximas épocas, mas é um sentimento de dever cumprido aquele que muitos adeptos e responsáveis do Sporting sentem nesta altura, pois por esta inovação se bateram - muitas vezes perante o gozo e a displicência dos “sábios” da bola. Pela minha parte entendo que este é apenas um começo e que muito mais haverá por fazer, mas sobre isso falaremos outro dia, agora é tempo de destacar o primeiro passo.


Saudações Leoninas 

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Trip's na maionese

A internet acaba de entrar em modo "José Pratas" com o rumor que JJ pode seguir para o PSG pela mão do novo director desportivo, Antero Henrique. Acima de tudo o que penso ser mais saudável para todos nesta altura é esperar por alguma confirmação oficial de que há mais do que apenas mais uma sumarenta novela de vai-não vai.

Discutir quanto é a cláusula de saída, que treinador pode substituir JJ, qual é o papel de Jorge Mendes ou mesmo que jogadores podia Jesus levar para Paris é...uma especulação que pouco mais tem de que algum divertimento e fantasia. E enquanto nós podemos "brincar" às insides e outros castelos de cartas, há quem no clube esteja a ter que pensar com a cabeça fria e no sítio correcto, não embarcando em panfletos cinematográficos.

Saudações Leoninas

Novelas, novelos e noveleiros

Há muitas formas de manipular a opinião pública sobre determinado tema ou notícia. Vivemos num tempo onde as pessoas têm pouca capacidade para acompanhar as múltiplas cascatas de informação que todos os dias jorram da rádio, dos jornais, da internet ou da televisão. Muitos conseguem manter algum critério e capacidade de distinguir o trigo do joio, mas a maior parte não têm tempo para dedicar às injecções de hiperinformação, preferindo o recurso ao entretenimento que mascara opinião como informação, exagerando e sensacionalizando, acrescentando emoção e reagindo a essa, devolvendo todo o pacote com um verdadeiro espetáculo, tal qual novelas repletas de intriga, paixões, traições e o que quer que nos agarre ao seu consumo.

Estes verdadeiros infoshows, contêm narrativas sólidas, estruturas pensadas para manter o público interessado. Ou pelo menos a maior parte do público, o chamado “target”. Uma das formas mais evidentes de como se pode manietar e moldar uma notícia para reflectir aquilo que se deseja fiel ao “guião” da novela corrente é convidar para reagir à notícia alguém que sabemos ir fazê-lo de forma pouco isenta, alguém que vai ter uma resposta condicionada com as suas filiações actuais ou passadas, quiça até as suas ambições futuras. Estes “convidados” vão extrair do conteúdo (do facto que vão comentar) aquilo que querem e vão pegar nesse segmento validando ou criticando as partes que mais lhes interessam ou as partes que mais interessam ao meio que os convidou. Its just business.

Não vejo por acaso que a maior parte dos convidados a comentar a atualidade do Sporting, sejam pessoas tão “isentas” e desapaixonadas como Pedro Madeira Rodrigues, Paulo Pereira Cristovão, Carlos Severino, Delfim, Carlos Barbosa ou Abrantes Mendes…curiosamente todos eles com assumidas divergências (estou a ser comedido) com a vigência actual do clube. Quem os convida sabe o que quer que digam, quem aceita sabe como deve “inclinar” a sua opinião. Se algum dia ouvirem estes habitués a elogiar uma qualquer medida ou declaração de BdC, podem ter a certeza que o mundo, tal como o conhecem, acabará nos minutos seguintes. 

Idealmente nós, os espectadores e consumidores de todas estas artimanhas, saberíamos “ler” estas entrelinhas e entender o tipo de realidade que se quer ver pintado…escapando à intoxicação destas novelas. Provavelmente tu que está a ler não pertences a este espectro, nem tu nem qualquer adepto leão minimamente informado. Podemos ter a certeza absoluta que estas notícias não são criadas para nos divertir ou informar. Não. Não é para qualquer sportinguista, é sobretudo dirigido ao maior target, ao seu target fiel, os adeptos encarnados. A prova disso é a votação esmagadora que saiu das últimas eleições. As “novelas” que estão a passar, não são para nós e muitos (de nós) entendemo-lo, compreendemos a sua distorção, o ruído, a forma jocosa e insultuosa como esboçam sorrisos ao falar do Sporting, às vezes só falta mesmo piscar o olho ao espectador enquanto se imita subjectivamente o acto de beijar o símbolo da águia numa etérea camisola.

A coisa é tão fácil de descortinar que o absurdo é normal. Tão normal como convidar ex-dirigentes e reconhecidos adeptos do…Benfica, para comentar matéria do Sporting. O mesmo não vemos, nunca, em sentido contrário. Não há reciprocidade alguma, nem é pretendido que exista. A novela não compreende esses twist’s e a narrativa podia correr o risco de ser menos apelativa ao Zé Carlos, bate-chapa que no final de um dia de trabalho exaustivo, se senta de cachecol vermelho na poltrona velha e gasta, a saborear a sua mine enquanto se ri a ouvir, ler ou assistir às últimas “anedotas” provindas da análise à eterna e “saborosa” crise do Sporting.

Saudações Leoninas.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Kamikaze ou apenas coerente?

A noticia está por toda a comunicação social. “BdC ponderará sair se a próxima época não trouxer títulos”. Assumindo que a mesma tem algum fundo de verdade e que é integralmente fiel ao que o presidente pensa do seu próprio papel como líder, é pelo menos justo e alinhado com as suas posições mais recentes. A tão referida exigência e compromisso com bons resultados passam a ser completamente transversais a todos os que trabalham no clube. Do suplente menos utilizado ao presidente, todos serão medidos pela mesma meta: ser ou não campeão, ou pelo menos, convencer todo o reino do leão que foram reunidas todas as condições para tal.

É um risco. Com a imprensa e opinion makers “que nos assistem”, esta é uma fasquia que não será esquecida (como muitas outras “promessas” de outros presidentes o foram) e que será repetida ad nauseam a cada mau resultado, a cada milímetro que coloquemos de distância com essa “linha de salvação” da continuidade. Confesso que quando li as letras gordas dos artigos que davam conta deste estado de espírito, a primeira reacção foi de achar este acréscimo de pressão absolutamente desnecessário e porventura contraproducente. Mas reflectindo um pouco mais no significado global da posição, é pelo menos coerente e transparente com tudo o que sempre escutámos de BdC. 

Depois de revolucionar o clube, de fechar as torneiras a um burguesismo boçal que quase fechou o Sporting e de impor uma nova forma de posicionar o emblema face aos interesses que rodeiam (e vampirizam) todos os emblemas desportivos, é já mais que evidente que para BdC é hora de levantar a barreira e colocar toda a lenha na caldeira, trazendo os títulos que validarão a utilidade deste Conselho Directivo. Porque talvez imagine que possa existir algum conformismo instalado em todo o clube, o presidente risca do mapa essa atitude, colocando todo a governabilidade em causa, colocando todos (e sim, também nós os adeptos) a pensar se não há um pequeno esforço adicional que todos possam dispensar para nos aproximar dos tão desejados títulos.

A isto chama-se sair da “zona de conforto” e ocorre-me uma frase (batida, como diria o Sérgio): “Para chegar aonde a maioria não chega, é preciso fazer o que a maioria não faz”.
Pensemos nisto.

Saudações Leoninas

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Peixes de água doce

A participação da Selecção Portuguesa no Mundial Sub20 está a dar razão a muitos sportinguistas que questionam há muito a capacidade de muitos quadros técnicos (e não só) da FPF. Pessoalmente nada me move especialmente contra ou a favor de Peixe como pessoa. Já não posso dizer o mesmo do Peixe seleccionador, que enferma de uma clássica incapacidade de criar resultados com a excelente matéria prima que poderia ter ao seu dispor. E sublinho “poderia”, já que já não é a primeira vez que deixa fora do quadro de opções (quer em apuramentos, quer em fases finais) alguns dos mais talentosos jogadores seleccionáveis. 

Ver os últimos dois jogos deste Mundial, é só a confirmação de que não temos qualquer aproveitamento quer individual quer colectivo do valor dos nossos jogadores, o que é um lamentável desperdício de potencial e prestígio. Não sei se alguém propositadamente diminuí o espaço de opções do nosso caro Emilio ou sé o próprio que revive recalcamentos antigos aquando das escolhas, mas o que sei mesmo é que o panorama actual não favorece ninguém. Não é bom para os atletas, para o Peixe e para a Selecção. E quando eventualmente a FPF estiver à procura de um sucessor, lembrem-se sempre que dá um certo jeito eleger um “treinador” que compreenda o que é o papel de “seleccionar” os “melhores” e que não seja permeável a alinhamentos Dubaianos ou similares.

A mim não me interessa ver Selecções mais verdes, azuis ou vermelhas, mas sim equipas onde os melhores (venham de onde vierem) têm espaço assegurado. E a FPF mais do que tentar dividir favores pelos “favorecedores”, devia era tentar tornar-se um organismo supra-clubes e superior aos seus interesses individuais. É que parecendo que não, salta à vista de qualquer um a pobreza (pouco) franciscana que muitas selecções apresentam, sendo cada vez mais difícil entender também qual foi e é o trabalho efectivo dos seleccionadores. 


Saudações Leoninas

terça-feira, 23 de maio de 2017

Cirurgiões e Alfaiates

Jorge Jesus é um treinador com convicções. Disso ninguém duvida. E se essas certezas lhe trazem a capacidade de rapidamente impor um estilo de jogo e um enquadramento táctico a qualquer equipa, tem também o seu lado adverso, ao raramente conseguir adaptar estas concepções a novas leituras que seriam recomendáveis quer pelos atletas à sua disposição, quer pelas dinâmicas financeiras e desportivas do clube que o contrata.

O fato que desenha para vestir as suas equipas é “one size, fits all” e o sucesso da época depende de quão elástica é a atitude e o talento dos seus jogadores. Há anos em que a coisa corre bem e todos fazem boa figura. Há anos em que a coisa corre sinceramente mal e a equipa anda em campo com mangas a cair dos braços e aos tropeções nas bainhas. No Sporting já experimentámos ambos os cenários, e a questão que todos colocam nos dias de hoje é…o que nos calhará no 3º ano? 

A resposta ninguém sabe e muito do que vai decidir o nosso caminho terá lugar nas próximas semanas. É que se o “fato” não se ajusta ao corpo é o corpo que deve ser trabalhado para exibir a vestimenta o melhor possível. Não é fácil, mas por esta altura já todos entendemos que é mesmo a única solução. A montanha tem mesmo de vir ao encontro de Maomé. E aqui a Montanha chamada Sporting tem um papel muito importante.

Ao contrário da época que agora acaba, há muito sinais que nos dão a certeza que BdC não vai assinar por baixo as "paixões de Jesus”. São caras e muitas vezes datadas, jogadores que ficaram no rol mental de tusas do treinador por um ano de brilharetes ou aquele jogo que calhou apanhar JJ a beber a quantidade de álcool certo no lugar do sofá que prefere enquanto olhava para a tv e pensava “cum caraças pá, este gaje é uma ganda bomba!”. Digamos que há scoutings melhores que olhar para atletas em queda descendente no mercado de valores futebolísticos, dos quais só o nome ganho em tempos idos resta como cartão de visita.

Este ano a história terá de ser diferente e o nosso treinador tem de deixar os tiques de gaja que vai pegar num playboy decadente e fazer dele um homem de família. BdC idealmente traçará um caminho mais estreito e em vez de soltar a casamenteira alma de JJ por esse mundo fora, apresentará os pretendentes que acha indicados, “obrigando” a "moçoila rebelde" a descer à terra dos clubes sem Mendes e sem 234 empréstimos obrigacionistas. 

O que não significa que se irá perder a hipótese de contratar bons jogadores e alguns deles possivelmente até mais caros que na última época. Mas já lá vamos, o que interessa é mesmo que JJ aceite este quadro decisório e aceite com isso a modernidade (de que tanto apregoa ser arauto no Sporting) de suportar a decisão de escolha de alvos no departamento de scouting do Sporting, que idealmente existiria. 

Dinheiro. Também muito se vai jogar nessa palavra que tanto muda no futebol e nas ambições desportivas de clubes que querem ganhar títulos. Num ano em que não será um escândalo ficar fora do quadro de grupos da Champions (é olhar aos clubes cabeças de série…) pode até acontecer o Sporting dispor de uma verba recorde para investir. Boa notícia? Nem tanto, pois isso significará que o clube vendeu alguns dos seus melhores atletas ou que por algum passo mágico, nos livrámos de dezenas de maus castings, de entulho acumulado ao longo de várias épocas. 

Racionalmente sabemos que o mercado não pagará mais do que peaners pelos excedentários (e será muito suadinho encontrar quem nos tome conta deles partilhando o salário) e sabemos também que alguns jogadores como Adrien, William ou Patrício atingiram o zénite da sua valorização interna. Podendo não haver Champions para dar montra, o price tag destes três, não subirá por aí além e a SAD Leonina pode antecipar uma boa venda, sabendo que manter os jogadores reféns do seu estatuto no clube também não é a melhor forma de fazer crescer uma equipa.

É certo que o mercado também vai atacar outro tipo de jogadores, talvez até com maior apetite. Gelson Martins e Dost andam nas bocas dos directores desportivos de muitos clubes e pode ser até que um deles convença o seu board a cometer uma loucura. Não será surpresa para ninguém que Gelson seja visto e valorizado com um dos valores emergentes mais prontos a rebentar num grande emblema europeu ou que Dost seja a garantia de golos que muitos clubes carregados de libras ou euros precisam para convencer as suas massas associativas. 

De uma forma ou de outra é bastante provável que o Sporting acabe por ter alguma verba para investir e é sobre esse pote de moedas de ouro que o tal corpo para vestir o fato decidirá a nossa época. Mais do que nomes ou glórias passadas, o plantel precisa de jogadores com talento e motivação para ganhar. Isso paga-se. Paga-se muito mais do que tentar trabalhar valores como Geraldes, Palhinha, Dala ou Podence, mas na visão de JJ essa é tentar fazer da 3ª linha a linha principal de soluções e sabemos o que está disposto a fazer para o provar.

Palavra a BdC, ao “reforço” do departamento de scouting que está inscrito no seu programa de 2º mandato e a uma sagacidade de acção no mercado que ainda não vimos sob a égide desta direcção. Os actos cirúrgicos têm deixado o paciente em penosas convalescenças, obrigando a intervenções correctivas em Janeiro. Espero que o cirurgião tenha mais acerto este Verão.


Saudações Leoninas

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Epílogo

O fim
E lá chegamos ao fim de mais uma época de futebol profissional. Ontem foi o ponto final de uma temporada típica do Sporting. Sem troféus, com desvalorização da maior parte dos atletas, com a promessa de um início de competição que vai ser árduo para a relação entre treinador e adeptos, admitindo como um facto que vai cumprir mais um ano do seu contrato. A chegada de mais um verão de transferências, traz mais dúvidas que certezas e nem as entradas de 3 atletas (André Pinto, Mattheus e Puccini) dão para fazer previsões quanto ao tipo de mercado que vamos atacar. 

Mesmo fechando a Liga com uma boa vitória frente a um Chaves meio coxo de soluções e ambições, foi fácil ontem olhar para o nosso jogo com um gigante ponto de interrogação. Quantos destes estarão cá na próxima época? Patrício? Jefferson? Esgaio? Ruben? William? Adrien? Palhinha? Geraldes? Dost? Gelson Martins? 

Os próximos meses serão intensos e é bom que nos preparemos para alguns capítulos mais de Academia Vs Contratações…pois o aviso tanto de BdC (através de Saraiva no Facebook) como de JJ na CI do final do jogo só prometem mais sequelas nas próximas semanas. 

Notas finais para:
1) a estatística de Dost. Termina a época com 50% dos golos da equipa o que revela a sua excelência e a pobreza de finalização que o acompanhou.
2) Beto - fez de Patrício como um titular faria. Espero que continue. 

As despedidas
A tarja da JuveLeo dando as despedidas a Ruben Semedo incomodou-me. Quer seja honesto ou irónico o desejo de boa viagem dado ao jogador, aquela mensagem é sempre um tiro ao lado na função de uma claque. A saída de um jogador, não estando confirmada é um mau assunto para uma claque tornar público e se é uma crítica (seja ao jogador ou ao clube) deveria ser feita noutros locais e fora dos olhares das câmaras (coisa a que os responsáveis das claques tem mais acesso do que o adepto vulgar).

O gesto
As demonstrações de afecto num estádio não devem chocar ninguém e o presidente não fez nada que alguém não possa fazer ao pé de uma criança, mas convém não ser ingénuo ao ponto de achar que o acto não teve segundos destinatários. E essa intenção eu critico. Com mais gala ou menos gala, BdC não deve fazer da sua vida pessoal, das suas manifestações de afecto algo com significado politico-desportivo. É um mau princípio que não o vai favorecer em nada. Nada.

O início
Não deu para saborear, nem sequer sentir o aroma, mas foi um marco que no futuro ficará para a história. Aos 90 minutos Gelson deu a Gelson. Martins a Dala. Quem sabe…a passagem do ceptro de coqueluche de Alvalade.


Saudações Leoninas