terça-feira, 30 de maio de 2017

Limites à indecência: Quem vota contra?

A Liga de Clubes votou ontem um valor limite para ofertas a árbitros. A frase só por si é emblemática do ponto a que o futebol português chegou. Quando se tem de submeter a votação este tipo de regras, a idoneidade dos dirigentes parece uma imposição e não um princípio. Ainda assim é melhor esta regulação do que o vazio ou o free pass legal que existia antes.

150 euros é agora o tecto. Mantenho o que disse e escrevi aquando a revelação do caso dos vouchers: não é a quantidade, valor facial ou a soma do valor das ofertas que está em causa, mas sim a atitude de quem faz a oferta. Desconfio mais de 1 euro oferecido por um dirigente corrupto do que 500 de alguém desinteressado, mas na dificuldade de encontrar essa pureza de intenções num meio como o futebol (e em especial na relação com os árbitros) o que fica mesmo bem é não oferecer.

Não sei de casos onde a "gentileza" tenha levado um arguido a oferecer vouchers refeição, camisolas ou outra porcaria qualquer a um juiz num qualquer tribunal cível. Não tenho registos, porque simplesmente não acontecem, porque um juiz de uma qualquer comarca de qualquer região ou país consideraria esse gesto (no mínimo) como atentatória à sua isenção, e entenderia...bem. Porque o é de facto e o Benfica sabia e sabe disso.

Tanto sabe que, pelos relatos de hoje, votou contra o valor de 150 euros, faltando esclarecer se considerou demasiado baixo ou não concordaria com qualquer tipo de tecto. Seja como for, valha pelo menos a coerência de ser, neste como em quase todos os casos, uma força detratora da inovação, da justiça e da independência dos reguladores do futebol. E isso, podem dar as voltas que quiserem nos painéis de tv, podem fazer os spins que quiserem nos editoriais dos jornais, é uma pele que não conseguem despir. Mais uma para descontar na comparação com o Apito Dourado, dirão os adeptos encarnados, sem conseguir discernir que o "desconto" já vai longo e que de forma inconsciente assumem que se governam por esta altura pela mesma bitola (se quiserem "cartilha") de esquemas do seu eterno ódio de estimação, Pinto da Costa.

Mas nem só o Benfica votou contra a nova regra. Foram 15 votos de rejeição e 2 abstenções. Sinal de que os "aliados" de Vieira são para as ocasiões, mas ainda assim perdedores face aos 27 votos a favor...e sim, isto também quer dizer outras coisas no mapa de poder do nosso futebol, mas isso terá de ficar para outro post, ou para a caixa de comentários se alguém achar interessante.

Saudações Leoninas


11 comentários:

  1. O horror , votaram-se regras !!!!! Surreal , o mundo brunético. É evidente que deveria bastar o dicktat de sobrinho ou do seu testas BC.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma vez...zero argumentos sobre o tema em causa. Pobre e podre.

      Eliminar
    2. Uma chatice, lá vêm mais umas porcarias para contornar...

      Eliminar
  2. Talvez porque o tema em causa seja uma mão cheia de nada . Mas é cultural, a lagartagem quando alguém mete em causa o "toda a gente sabe" ou alerta para a evidência que as suas opiniões não são factos fica logo toda nervosa. É CULTURAL

    ResponderEliminar
  3. Javardeiro, sabes quem foram os clubes que votaram com a corja vermelha?!?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. educated guess: os que têm 3 jogadores que n podem defrontar os 'donos disto tudo' e ainda lhes juntam um ou dois centrais peritos em auto-golos ou passes ridículos para a baliza

      Eliminar
  4. Essa dos emprestados é o novo video vasco. Só omitem que este ano eram o clube com mais empréstimos e que dois até foram corridos por terem ganho ao grande scp. O costume

    ResponderEliminar
  5. Amigo Álamo...

    Sabe por acaso quando "abre a caça aos tordos..."...?

    É que anda por aqui "muita avezinha"...e a mim... "ainda me sobrou uma cartucheira de chumbo 8..."...

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era o amigo Javardeiro e não Álamo ´é claro...!!

      SL

      Eliminar
  6. Lamentamos não alimentar as cartilhas do dr Sobrinho.

    ResponderEliminar